Baby pós UTI

Estamos cansados de saber que tudo que ocorre em nossa vida traz uma cicatriz. Nossa personalidade é composta dos desafios, amores, sofrimentos, desejos que enfrentamos dia-a-dia. Para os bebês não deixa de ser diferente.
Agora 1 ano e meio depois que minha filha saiu da UTI pude observar que algumas lembranças ficam no inconsciente dela e nem sempre são boas, mas a melhor notícia é que podemos mudar essas lembranças que trazemos em nosso corpo. Segundo o yoga, medos e sofrimentos jamais deixarão de existir, mas para enfrentá-los, temos que nos fortalecer e perceber que o ruim faz parte da humanidade.
A Lei do Karma, diz que toda ação gera reação, portanto cada atitude gera uma memória em nossas células, se continuarmos repetindo a ação, vem o desejo de repetí-lo cada vez mais, gerando assim um padrão de comportamento que nos faz repetir as ações e formar nossos hábitos, ai entramos na roda de sucessão dos karmas. Para simplicar, temos obrigação de escolher conscientemente nossas ações, pois são a partir delas que formaremos nossos hábitos. Se existe algo que você não gosta em você, mude sua atitude antes de esperar que caia alguma solução do céu.

Ação =>Reação =>Memória =>Repetição da ação =>Hábito
  <==========================================        
                                                                                  
Voltando para os bebês, como eles não possuem consciência e entendem o mundo de uma maneira diferente, devemos ajudá-los a eliminar as más lembranças que possuem da UTI, pois se não fosse esse lugar, muitos deles nem sobreviveriam, pois é, a vida as vezes é sofrida e temos que mostrá-los que existem muitas coisas boas também.

Alguns exemplos práticos que adoto com a Sofia:

Medo de segurar os braços: ela não suporta alguém imobilizando-a pelos braços, nem cobrir os bracinhos podemos à noite.
Causa: incansáveis vezes que seguram na UTI para procurar uma veia ou fazer algum exame de sangue.
Solução: Ninguém segura minha filha, imobilizando-a pelos braços. Para dar remédios basta colocá-la em frente a um desenho e quando está distraída dou com a colher na boca (só ofereço medicamentos de gosto bom!). No caso de exames de sangue, vale muita distração e nada de segurar com força. Ultimamente consegui fazer exames pela planta do pé, ela nem se liga o que está acontecendo.

Susto ao pegá-la quando está dormindo: quando ela está dormindo e temos que transportá-la para outro lugar ela sempre assusta.
Causa: Na incubadora os sons são potencializados. Imagina você um bebê que acabou de sair do conforto do útero de sua mãe e toda hora vem alguém manipular você, mudar de posição, sem ao menos pedir licenças, avisar?
Solução: toda vez que alguém vai pegar minha filha, avisa antes para não assustá-la. Eu costumo sussurrar bem baixinho “Soso a mamãe vai te pegar agora, ta tudo bem!” ela se mexe, percebe que está indo para meu colo e continua a dormir! Simples!

Adoração por ficar pelada: lindo! super encantador ver sua felicidade ao tirar a roupa. Ta vendo, nem tudo é ruim?
Causa: Na UTI os bebês ficam aquecidos e não usam roupinhas, é até uma maneira de segurança, pois se apresentam algum tipo de infecção, a pele é a primeira a mudar de coloração. Depois que saem, têm que lidar com esse negócio de tudo coberto.
Solução: sempre que posso deixo minha filha com o mínimo de roupa. No caso de algum ataque de choro sem causa identificável, tiro a roupa e o sorriso logo chega!

One thought on “Baby pós UTI

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>