Cuidado com aulas de música para seu bebê

Quando tenho um tempinho livre, adoro ficar na Internet procurando coisas úteis para poder dividir com vocês. Tá certo, reconheço que atualmente não existe ferramenta melhor, mas confesso que perco muito tempo tentando selecionar o que vale a pena ser lido e propagado. Nessas andanças, encontrei o Baby Arts, uma escola de música para bebês, que se divulga com aulas especialmente desenvolvidas para bebês de 0 meses a 3 anos. Como sempre procuro coisas interessantes e novas para minha bebê, lá fomos nós.
Eu tinha uma consulta médica bem no dia, então sabendo da probabilidade de atraso, deixei minha filha com a babá. Liguei, avisei, conversei e expliquei que minha filha tem alguns probleminhas, etc etc… Já poderiam imaginar que a mãe aqui é crica e sabe onde está pisando. Leio tanto, pesquiso muito e converso com os melhores especialistas infantis, a bagagem é enorme!
Bom, a aula começou e eu chegue atrasada, conforme o previsto! Mas a babá entrou e me representou muito bem! O lugar é fofo, a sala toda acolchoada, do chão às paredes (um tanto exagerado, parecia que eles temem que algum bebê surte e saia batendo a cabeça na parede). Quando cheguei quis observar como era a aula (tem uma janela por onde podemos ficar vendo) e quando eu estava me preparando para entrar, percebi que a Soso começou a chorar. Falta de costume com os instrumentos? Sono? Mamãe foi acudir!
A primeira impressão já tinha ficado, tirei minha filha da sala e a acalmei… ai fomos na mesma janela que eu estava minutos antes e ela deu várias risadas! Resumindo: não voltou pra aula, ficou do lado de fora observando…
No final fui falar com a professora, saber qual era o método, como ela estimulava crianças e o que poderia fazer pela minha filha. Disse ela que a música é um grande estímulo e que até com crianças com síndrome de down ela trabalha. Não vale a pena comentar a fundo o que achei dela, afinal ela é uma profissional que, preparada ou não, está lá trabalhando e devemos respeitar. Resumindo: simpática sim, com uma linda voz, mas zero experiência com crianças, mães e babás, quem dera crianças especiais.
Bom, depois conversando com alguns terapeutas da Soso, percebi que o método que utilizam NÃO auxilia no desenvolvimento dos bebês, afinal usam voz, com música e instrumentos tudo ao mesmo tempo. Na verdade os estímulos para serem proveitosos pelos bebês precisam vir acompanhados do mínimo possível de ruídos, portanto se queremos cantar, cantemos sem acompanhar com os instrumentos (exatamente o oposto da “aula de música”). Se queremos que eles percebam o barulho do instrumento, devemos mostra-los, sem acompanhar a música e deixar que as crianças explorem. No caso da Soso que tem uma pequena deficiência auditiva é mais complicado ainda, sabe aquele negócio para estimular, mas ter bom senso? (Isso é tema pra outro post, mães com bebês com problemas sabem muito do tema). Resumindo: nada de exageros!
Eu até que fui liberada para levar a Soso devolta às aulas de música, mas para um momento de descontração e se ela gostasse muito (o que não foi o caso!), porque estímulo é melhor eu continuar com as atividades que temos com profissionais muito bem capacitados!
Bom, antes de pensar, tente você com seus bebês, mas a minha dica é “Fale com especialistas”, siga o bom senso de mãe e, principalmente, perceba o “choro” de seu bebê, ele pode te ajudar a decidir o que é melhor para ele! Boa sorte! E eu continuo procurando algum profissional BEM capacitado para trabalhar estimulação musical com minha bebê.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>