Exposição a excesso de barulho prejudica bebês

Arquivo publicado no blog: http://fonoralmeida.blogspot.com/


O assunto ficou em evidência após Drew Brees, sob uma chuva de confete, segurou no alto seu filho de 1 ano de idade, Baylen. O menino usava algo que parecia com os fones de ouvido, mas na verdade eram protetores de ouvido de baixo custo e pouca tecnologia para preservar seu ouvido do barulho do estádio. Especialistas afirmam que esse tipo de proteção é essencial para ouvidos jovens num mundo ensurdecedor.

“Se uma criança só vai a um único evento esportivo barulhento, não é nenhum problema. Mas para aquelas crianças que vão a jogos de futebol a vida toda, como os filhos do zagueiro Drew Brees, já é um problema. Um ouvido jovem e delicado pode não conseguir suportar os danos”.
De acordo com o Instituto Nacional de Segurança Ocupacional e Saúde, mais de 15 minutos de exposição a 100 decibéis não é seguro. O barulho num estádio de futebol pode chegar a 100-130 decibéis.
Uma criança pequena pode perceber um som como 20 decibéis mais alto do que uma criança maiorizinha ou um adulto. O comprimento mais curto do canal auditivo aumenta os níveis de barulho perigoso nas frequências mais altas, que são cruciais para o desenvolvimento da linguagem.
A maioria dos protetores de ouvido não foi projetada para crianças pequenas, mas a Baby Banz vende protetores de ouvido para bebês a partir de 6 meses. (The New York Times)

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>